PONTO CEGO



Uma mulher sem lembranças de seu passado (Jane Doe) com amnésia, é encontrada no coração de Nova York nua na Times Square com o corpo totalmente coberto de várias tatuagens. Ela não se lembra quem é, como estava na bolsa e o que significam todas essas inscrições e símbolos. Sua descoberta desencadeia um vasto e complexo mistério que imediatamente inflama a atenção do FBI, entre as tatuagens está o nome do agente do FBI Kurt Weller, mas ele nunca havia visto um estranho misterioso. Começa então a seguir o roteiro de suas tatuagens em uma conspiração maior do crime, enquanto a aproxima da descoberta da verdade sobre sua identidade. 
A série com nome original "Blindspot", conhecida como "Ponto Cego", é do gênero suspense/policial criada por Martin Gero, conta com Jaimie Alexander, Sullivan Stapleton e outros talentos no elenco.



Tudo acontece muito rápido, do aparecimento de Jane até sua aceitação por parte da equipe do FBI. Não é preciso ser gênio para perceber que todas aquelas tatuagens serviam para alguma coisa. No episódio piloto, uma delas leva ao encalço de um terrorista. Jane e todo clima ao seu redor caem em um clichê universal. Ela, de repente, lembra-se que fala um dialeto chinês obscuro, além de mandar muito bem nas artes marciais. Com seus lapsos de memória mostram um pouco de seu treinamento, além de um rosto que será figurinha carimbada no decorrer da temporada.

DIABLERO



Uma série que já chama atenção do público por conta de seu tema, a trama focará no Padre Ramiro Ventura, que vive em uma Cidade do México infestada de demônios por todos os cantos, à procura do lendário “diablero” caçador de demônios, Elvis Infante, ele tem esse apelido por conta de seu talento nato para caçar e prender demônios, e realmente ele é o melhor nessa profissão. Com a ajuda de Nancy, uma heroína dos tempos modernos, esse trio improvável vive em uma constante batalha entre os dois mundos, e inicia uma série de eventos que podem determinar o destino da humanidade. Tudo que lida com o sobrenatural é atraente aos olhos da audiência. Entretanto, Diablero tem um interesse maior nessa caça: existe um mercado negro de venda de demônios para o circuito de luta underground, e ele é o maior fornecedor.
Com  maravilhosa atuação do elenco, escolhido com perfeição. Em especial Christopher von Uckermann, que interpreta o Padre Ventura. Ele liberta-se da imagem de galã adolescente da época de “Rebelde” e entrega seu melhor trabalho até aqui.



Em Diablero, os demônios não são apresentados como estamos acostumados a ver. Tem formas e poder inferiores, são usados pelos humanos como uma espécie de 'cães de luta', sendo até mesmo negociados entre caçadores. Eles são mantidos presos dentro de algum recipiente para serem transportados, geralmente garrafas.

SEGURANÇA EM JOGO




A produção concilia elementos de drama, romance, ação, suspense e thriller político. Criada por Jed Mercurio, de “Line of Duty” e “Critical”, o programa acompanha um sargento da polícia, ex-militar, que é destacado para a segurança pessoal da Ministra do Interior e precisa relevar o fato de discordar de suas orientações políticas.
O mais sensacional da série é que lá pela metade ela se reinventa completamente, sem abrir mão das principais características que pavimentaram o caminho até então.

Richard Madden, assume com devoção memorável o papel de David Budd, esse sujeito que vive uma crise familiar, mas cuja retidão no serviço parece improfanável. O roteiro, no entanto, trata de tornar sua figura ambígua em relação a Julia Montague (Keeley Hawes), a Ministra do Interior cuja plataforma de governo prevê o endurecimento do combate ao terrorismo em solo Britânico.



A maneira como a série se desenvolve é eletrizante. Um mérito que precisa ser compartilhado é a cena de abertura que já demonstra a inteligência com que o show prende seu espectador. Budd está em um trêm com seus filhos e percebe alguma agitação da tripulação. Ele descobre que há uma ameaça de bomba iminente no local e se voluntaria para mediar a enervante situação. São 20 minutos dos mais tensos e a série volta à carga no excepcional último episódio, que reuniu mais de 17 milhões de britânicos em frente à TV.

RAIO NEGRO





Uma série familiar cujo personagem protagonista Jefferson Pierce, que há anos aposentou o traje do Raio Negro e trabalha como diretor do colégio Garfield High School, o herói é dividido com Jennifer e Anissa suas duas filhas que descobriram os poderes recentemente e com Lynn, sua ex-esposa e um atual interesse romântico mal resolvido.

Série intercala cenas de lutas repletas de efeitos especiais e explosões, com jornadas simultâneas e é isso que faz com que a série não perca o seu interesse em momento nenhum. Enquanto Jefferson recomeça sua carreira como justiceiro e sente os impactos disso em tudo que construiu em sua vida pessoal no tempo em que ficou parado, Anissa e Jennifer lidam de formas distintas com a descoberta dos poderes. A filha mais velha do Raio Negro abraça os poderes e se torna uma vigilante treinada pelo pai, ao passo que a caçula rejeita a mudança em um primeiro momento. Os caminhos que as duas trilham na série são coerentes com suas personalidades e rendem bons momentos de embate familiar - seja quando Anissa desafia os pais insistindo em defender a cidade ou quando a recusa de Jennifer em aceitar sua situação coloca Jefferson e Lynn em uma discussão sobre o que pode ou não ser considerado normalidade.





Os episódios trazem assuntos fortes com o debates reflexivos no centro da trama. Os criminosos da série fogem do clichê. Eles são criminosos por um sistema falho que não deram oportunidade ou fingem que deram oportunidade. O descaso da população e das autoridades são as ferramentas que criam Lala (William Catlett), mais vítima do que antagonista na série.


Raio Negro é aquela série que nem a gente sabia que precisava e facilmente ocupa o primeiro lugar no ranking das melhores séries baseadas em personagens da DC Comics no ar atualmente.

POR DENTRO DAS PRISÕES MAIS SEVERAS DO MUNDO




Uma séria que, de início pode te provocar espanto, porém irá tratar de uma realidade dolorosa das diversas sociedades onde irá te chocar com relatos e imagens de criminosos de alta periculosidade, será guiado pelo jornalista investigativo Paul Connolly, que entra nas selas e junto com os presos conversa sobre os crimes que cometeram como é o dia a dia nos presídios nas selas.

Com o desenrolar da série terá uma sensação que em alguns presídios espalhados pelo mundo a civilização já não existe, a humanidade entre seres  da mesma espécies parece ter morrido.



Todas as gravações são mostradas quase sempre, em presídios onde há uma desordem seja ela política, social ou manipuladas por crime organizado e isso faz com que você fique chocado, preso e bem atento a toda série.

TERRA PROMETIDA




Narrando a histórias da Alemanha nazista através dos olhos dos Judeus e a repercussão da guerra e da imigração Européia no Brasil durante aquele período. O documentário nos traz imagens de documentos históricos como, por exemplo: o telegrama enviado de Albert Einstein, onde o governo brasileiro rejeita o pedido de entrada de uma de suas amigas, e, de vídeos raros da época, onde podemos ver um pouco do espírito da sociedade Alemã, desde a entrada no poder no partido nazista, até sua queda em 1945 e a repercussão da guerra em terras brasileiras, desde a simpatia pelo eixo por parte de Getúlio, até a entrada na guerra ao lado dos aliados.

Complementando a parte documental da obra, a série apresenta trechos em animações baseadas em histórias reais de diversos personagens que vivenciaram os fatos ocorridos na segunda guerra, tanto no Brasil, quanto no fronte de batalhas. A produção desses desenhos é um trabalho da "Belli Studio" de Blumenau, responsável por ilustrar algumas séries da Discovery Kids, como “Meu Amigãozão” e “O peixonauta” é o estilo simples com que as histórias são retratadas remetem tanto a busca por uma verdade mais leve, quanto ao escapismo que tais situações pedem frente a crueldade e tristeza dos fatos ocorridos.
Histórias que todos os cidadãos precisam saber e visualizar em seus olhos, fatos, imagens, violências ocorridas naquele período onde homens e mulheres passavam para continuarem vivos e em busca de um lugar melhor para viver.  

O CHEFINHO




O Chefinho um agente de campo da Baby Corp, unindo forças ao irmão mais velho Tim Templeton, tem a função de conseguir balancear a vida pessoal com os negócios coorporativos enquanto tentam fazer os bebês serem os mais amados do mundo. Até mesmo mais do que gatinhos. Ou seja, uma missão quase impossível.
Um roteiro simples, que no entanto, é algo que consegue atingir tanto as crianças como os adultos, porque tem umas piadas super inteligentes sobre o mundo dos negócios e sobre o capitalismo, coisas que só os adultos entendem. A série baseia-se no humor inteligente que já foi bem trabalhado no filme. Só que dessa vez, o roteiro consegue explorar melhor cada personagem. Dificilmente nós vimos no filme a relação que o Chefinho tem com a família, algo que aqui foi extremamente abordado. Dessa forma conseguimos entender melhor como funciona a empresa comandada por bebês, e também podemos entender a personalidade de cada mini pessoa. Os personagens são incríveis e super hilários.
Com um belo gráfico certamente prenderá a atenção das crianças e de todos no sofá, a qualidade das animações da Dreamworks são inquestionáveis. Tudo é muito colorido, fofo e vibrante, os episódios são curtos e animadores tornando assim cada episódio mais empolgante de se vê e desejar assistir o próximo.

3%



Uma série brasileira, 3% está na categoria de ficção científica que se passa em um mundo no qual todas as pessoas, ao completarem 20 anos de idade, podem se inscrever para um processo seletivo que os levará a um "novo mundo", em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá, pois um processo bastante cruel é imposto aos candidatos. 
Com muitas críticas de ordem social, racial e política, levando ao questionamento da nossa própria sociedade e até onde iríamos para garantir condições de vida mais dignas para nós mesmos.


PROXIMA → INICIO